Artigo patrocinado por
Margô Hostel

As diferenças entre hostels e hotéis

Informalidade, preços baixos, crescimento da cultura “faça você mesmo”. Porque hostels ganharam popularidade em Portugal.

April 23, 2019
Por
Ivete Quintela

Você sabe a diferença entre um hostel e um hotel? Ambas as palavras são muito parecidas, sendo comum confundirem essas duas classificações de hospedagem, mas na verdade,  os conceitos são distintos. Vamos entender quais as diferenças básicas e como aproveitar o melhor dos dois!

Hotéis - Esse meio de hospedagem, geralmente, é classificado de uma a cinco estrelas, de acordo com o conforto, luxo e serviços oferecidos. A maioria dos hotéis também disponibiliza serviços de alimentação, eventos e outros. É portanto, um modelo de hospedagem mais privada e confortável e por isso, um pouco mais cara que os hostels.

Hostels - Estes espaços funcionam como albergues e caracterizam-se pelo facto de proporcionarem um tipo de alojamento mais informal e económico, constituindo assim numa alternativa face ao alojamento num hotel.

Os dois tipos de alojamento não podem ser comparados no mesmo patamar já que existem algumas diferenças entre os dois conceitos. A informalidade e os preços competitivos, com o crescimento da cultura do “faça você mesmo”! Todos esses fatores ajudam a explicar o sucesso que os 'hostels' têm vindo a ganhar nos últimos anos, principalmente, cá em Portugal

Hostels e os turistas

Muitos hostels têm quartos privativos, outros não, mas todos os hostels devem ter pelo menos um quarto compartilhado em regime de dormitório. Alguns dos espaços de um hostel são partilhados, como sala, cozinha, varandas, etc. e fomentam os encontros espontâneos entre os clientes que gostam de socializar com vários tipos de culturas. Esses ambientes são mais informais e que promovem a proximidade entre os outros hóspedes. Além disso, os hóspedes podem utilizar as áreas comuns como a cozinha, para preparar suas refeições e reduzir as despesas com alimentação

Para muitos, esta é a forma mais atrativa de aproveitar férias atualmente. Até porque os preços praticados podem ser tentadores. Por exemplo, se um hóspede ficar alojado num ‘hostel’ na zona do Chiado por uma noite, num dormitório, o alojamento gira em torno de 16 a 20 euros. Se optar por reservar antes um quarto duplo (com casa de banho partilhada e pequeno-almoço incluído), o preço do quarto fica por de 50 a 60 euros. Já se ficar instalado num hotel de três estrelas na mesma zona, a fatura sobe, no mínimo, entre 70 a 100 euros.

Cá em Portugal, esse tipo de negócio está inserido na categoria de negócios do AL - Alojamento Local, onde existe uma Legislação específica, impostos diferenciados e uma rígida fiscalização por parte das autarquias, incluindo bombeiros, etc. Isso torna o negócio regulado e controlado pelas autoridades, inclusive pelo SEF, à quem os hostels, assim como os hotéis, devem fazer a comunicação de entrada dos estrangeiros do primeiros ao terceiro dia do check in dos estrangeiros.

Hostel é então uma hospedagem low cost, um espaço que mistura alguns dos conceitos de hotel com o de pousada! Um bom preço, a integração com outras pessoas e a localização sempre privilegiada são características fundamentais de um Hostel. Um Hostel é um espaço de convivência, de trocas culturais e pode ser uma experiência enriquecedora.

Cultura dos Hostels na Europa

Os hostels são muito comuns na Europa, e portanto, a maioria dos europeus que os escolhem já sabem as regras básicas de convívio nesse tipo de hospedagem, mesmo assim, o anfitrião sempre deve explicar as regras do local. As regras devem ser seguidas para o bom convívio entre os hóspedes, os horários são rígidos e o silêncio é sempre levado muito a sério por todos.

Os anfitriões podem colocar essas regras visíveis dentro dos quartos ou áreas comuns. Algumas plataformas de reservas ainda mantém em evidência essas regras para ambos, anfitriões e hóspedes darem anuência, aceitando ou recusando o local por causa das regras de convivência e conduta. Até porque, quem opta por se hospedar nesse tipo de acomodação faz uma viagem com um custo menor e isso significa que os dias são mais longos, começam mais cedo e as pessoas caminham muito, já que evitam gastar dinheiro com transporte, por exemplo.

Hostels em Portugal

"Portugal vive uma viragem do turismo, isto devido, em grande parte, ao conceito low cost. O turismo low cost é um segmento com força suficiente para desenvolver, recuperar recursos específicos e espaços recriando-os em produtos turísticos. O alojamento turístico aproveitando-se disso pode também crescer. Aliando a atratividade do preço cobrado, os hostels utilizam edifícios históricos ou de idade avançada, reaproveitando e dando uma nova vida à malha urbana e a edifícios, que, outrora tiveram outro significado e função. A cidade do Porto é um bom exemplo de boas práticas no turismo low cost, podendo suscitar grandes desenvolvimentos a nível turístico como a nível local."

O conceito Low Cost é tendência no mundo todo, é uma realidade em todos os segmentos e especialmente forte no segmento de hospedagens. O resultado é a revitalização de edifícios, de novos nichos de negócios voltados ao turismo e de economia para o viajante, como bem explica Gil Pinto, na sua Dissertação de Mestrado.

"O turismo está em constante evolução, aparecendo novas tendências geradoras de novos conceitos, resultado das motivações dos turistas. Os jovens procuram produtos turísticos a preços acessíveis para poderem viajar. Dentro destas novas tendências emancipam-se conceitos, que anteriormente, ainda não estavam em tão grande utilização no nosso país. As motivações e o rendimento do turista ditam o caminho do turismo low cost."

Dados estatísticos

Segundo o INE - Instituto Nacional de Estatísticas: Atividade Turística - dezembro de 2018 Hóspedes e dormidas em crescimento

Em dezembro de 2018, a hotelaria alojou 1,2 milhões de hóspedes, que proporcionaram 2,8 milhões de dormidas, refletindo-se em variações de +3,3% e +2,5% (+6,5% e +4,7% em novembro, respetivamente). As dormidas em hotéis (75,5% do total) cresceram 3,3%. Os aldeamentos e os apartamentos turísticos destacaram-se com crescimentos de 8,8% e 6,2%, respetivamente.

Os Hostels e os Imigrantes

O hostel está apresentando sempre novas possibilidades, como a de ser a primeira “casa” dos imigrantes que precisam de um lugar para passar algum tempo antes de arrendar (alugar) ou comprar a nova casa

Como encontrar?

Se você pretende se hospedar em um hostel na Europa, é possível encontrar sites especializados em hostels como:

  • Booking
  • Airbnb
  • Homeway
  • Kayak
  • HostelWorld
  • Hostels.com

Vale a pena?

Vale muito! Se você nunca se hospedou,  você pode ter uma boa surpresa e quem sabe vir a ser um adepto desta modalidade de hospedagem mais barata, e ainda levar na bagagem de volta para casa, algumas novas amizades e novas experiências!


Fonte: Alojamento turístico low cost na cidade do Porto: hostels

Esse artigo foi patrocinado por

Margô Hostel

Margô Hostel Caldas agradece aos hóspedes que nos qualificam com “Superhost”, 5 Estrelas” e com os melhores comentários possíveis. Isso aumenta nossa responsabilidade e compromisso em atender bem!
Ir para o site

Quer ser destaque em um artigo do VPDicas?

Patrocine nossos artigos e tenha sua marca em destaque junto a um conteúdo relevante para comunidade VPDicas. Para saber como funciona é só preencher o formulário abaixo que o time VPDicas vai entrar em contato com você.

Obrigado. Entraremos em contato em breve!
Algo deu errado ao enviar o formulário. Por favor, tente novamente.

Artigos em destaque