Parque Nacional Peneda-Gerês

Portugal terá em 2018 um dos maiores museus de arte urbana do mundo
8 Janeiro, 2018
Turismo

O Parque Nacional da Peneda-Gerês é uma área protegida de Portugal, com autonomia administrativa, financeira e capacidade jurídica, criada no ano de 1971, no meio ambiente da Peneda-Gerês.

 

Localização

Situa-se no extremo noroeste de Portugal, na zona raiana entre Minho, Trás-os-Montes e a Galiza. E, o seu perímetro territorial abrange todo o vasto território florestal que se estende desde a Serra da Peneda até a Serra do Gerês – daí a sua designação, englobando ainda a Serra do Soajo e a Serra Amarela. Sendo recortado por dois grandes rios, o Rio Lima e Cávado. (Wikipédia)

Compreende quatro serras: Gerês, Soajo, Peneda e Amarelo. É definitivamente uma das mais belas e preservadas regiões de Portugal.

 

Miradouro, estrada.

Essa viagem ao Gerês não foi programada. Eu e minha família moramos no Centro Oeste, na belíssima cidade das Caldas da Rainha, estava recebendo meu filho, que trabalha ainda no Brasil e veio conhecer Portugal e visitar a família. Como tive que ir à Braga, resolver assuntos de trabalho, levei-ocomigo.

Como teríamos o domingo livre na cidade, tivemos algumas alternativas de passeio, como a própria cidade de Braga, Barcelos, Esposende, pois ele já havia conhecido Guimarães, todas pertencentes ao Distrito de Braga e muito lindas! Mas como eu sei que ele gosta de montanhas e de lugares pitorescos, sugeri irmos para o Gerês, pois eu ainda não conhecia a região. Foi a melhor ideia que tivemos!

O Gerês é surpreendente, surreal!

Optamos por rotas alternativas guiadas pelo Wase, que funciona lindamente em todo o país. No trajeto, passamos por cidades e aldeias lindas, estradas com muitos pinheiros, curvas e um horizonte cercado de muito verde. Enfim, iniciamos uma descida, serpenteando a montanha e ainda do alto, avistamos logo baixo do vale um rio incrível, o Rio Caldo. Complicado descrever tamanha beleza! Nessa parte, a desaceleração do carro não é somente por causa dos abismos ao lado das curvas, e sim por causa da beleza que nos envolveu, ficamos hora rindo e hora em absoluto silêncio, apenas admirando o cenário.

Ao chegarmos às margens do Rio Caldo, vimos um lugar com boa estrutura hoteleira, muitos AL (Alojamento Local/hostel), cafés, restaurantes e uma linda marina. Comemos uma refeição rápida, pois estávamos ansiosos para seguir viagem.

Avançamos em direção à fronteira com a Espanha, para subir toda a montanha pelo outro lado da ponte. O trajeto faz-nospensar no quanto esse país preserva suas riquezas naturais! Vimos cavalos selvagens cavalgando livremente, carneiros pastando e se equilibrando nas rochas íngremes, e muita água descendo em cachoeiras, fontes. Na região tem até águas termais!

No ponto mais alto, encontramos o Posto de fronteira entre Portugal e Espanha, completamente vazio desde que Portugal passou à fazer parte da UE em 1986, se tornando desde então, um dos 28 países sem fronteiras entre si. Portanto, poderíamos seguir livremente para a Espanha, mas optamos por escalar à pé e explorar a região. Eu não consegui subir muito, pois o frio era muito forte e eu não tenho bom condicionamento físico. Meu filho foi sozinho. Ele me disse que é incrível a vista do pico da montanha (no dia posterior nevou no lugar). Sem dúvida, o Gerês é realmente um dos lugares mais lindos que já visitamos.

Distâncias à partir de:

.  Lisboa para o Gerês  4 h 11 min(405,7 km
via A1.

. Caldas da Rainha para o Gerês 3 h 21 min(324,4 km
via A17.

. Porto para o Gerês  1 h 12 min(106,8 km
via A3

 

SOBRE O PARQUE GERÊS

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) abrange território de 22 freguesias distribuídas pelos concelhos de Arcos de Valdevez, Melgaço, Montalegre, Ponte da Barca e Terras de Bouro. Esta Área Protegida forma um conjunto com o parque natural espanhol da Baixa Limia – serra do Xurés, constituindo com este, desde 1997, o Parque Transfronteiriço Gerês-Xurés e a Reserva da Biosfera com o mesmo nome.

Percursos e itinerários automóvel

Se pretende realizar atividades de lazer nesta área protegida, saiba quais são as permitidas e os locais onde as pode realizar. No caso específico do pedestrianismo tenha em atenção o seguinte:

Para usufruto dos visitantes, e como forma de organizar a visitação desta área protegida, existe uma rede de percursos pedestres, constituída por percursos sinalizados e percursos de realização com orientação cartográfica ou GPS. A sua grande maioria pode ser realizada sem necessidade de autorização prévia do PNPG. Tenha, porém, em atenção aqueles que estão identificados como condicionados e as condições para a sua realização:

  • Situado em área de proteção parcial I: Pode ser realizado sem autorização prévia do PNPG por grupos até 10 participantes;
  • Situado em área de proteção parcial II: Pode ser realizado sem autorização prévia do PNPG por grupos até 15 participantes.

Qualquer outro percurso que não integre a rede de percursos pedestres do PNPG obedece igualmente a estas condições.

A realização de percursos pedestres em área de proteção total carece sempre de autorização do PNPG, independentemente do número de elementos do grupo, que não poderá exceder, no entanto, os 10 participantes.

+ INFO 

A informação contida nestes sítios é da responsabilidade das instituições mencionadas. O ICNF não se responsabiliza pela garantia do acesso.

O Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG) é um vasto território que se estende por mais de 69 mil hectares e é distinto nas suas diferentes paragens. Existem, pois, vários motivos de interesse para o visitar e existem também diferentes formas de o fazer.

Para visitar o Parque é aconselhável começar por uma visita às estruturas de recepção de visitantes existentes, ou pelo contacto com as mesmas, para recolher a informação necessária, nomeadamente sobre a legislação em vigor, uma vez que se trata de uma área especialmente protegida por lei.

Recomendações

  • Proteja o Parque;
  • Respeite os valores naturais e culturais do Parque;
  • Não danifique a flora nem colha amostras de plantas, líquenes, cogumelos, rochas ou minerais;
  • Não recolha nem perturbe a fauna;
  • Evite barulhos e atitudes que perturbem o meio que o rodeia;
  • Siga pelos trilhos e caminhos existentes;
  • Respeite a sinalização existente;
  • Respeite a propriedade privada e o modo de vida e o trabalho das populações residentes;
  • Transporte consigo o seu lixo até poder colocá-lo num local de recolha apropriado;
  • Acampe apenas nos locais autorizados;
  • Faça os piqueniques apenas nas áreas de merenda devidamente equipadas para o efeito;
  • Mantenha o seu cão preso pela trela;
  • Comunique ao PNPG ou à GNR/SEPNA (Linha SOS Ambiente e Território: 808 200 520)  alguma infração que presencie;
  • Respeite as indicações das entidades oficiais.

CUIDADOS

Algumas das atividades na Natureza, como é o caso do montanhismo, envolvem diversos riscos. É por isso importante agir com consciência, sobretudo quando o território é desconhecido ou quando não se domina a atividade.

Assim:

  • Tenha sempre em atenção as previsões meteorológicas e evite realizar atividades em dias em que se preveja a ocorrência de chuva, trovoadas e nevoeiros;
  • Evite ir sozinho(a) para a montanha, mas, se o fizer, informe alguém conhecido ou alguma entidade local da sua partida e do seu regresso;
  • Opte por vestuário e calçado simples e confortável;
  • Previna-se com agasalhos, alimentos, água, protetor solar e/ou impermeável. Poderá munir-se também de telemóvel, lanterna e isqueiro;
  • Tome precauções especiais quando caminha em zonas húmidas e rochosas, para evitar quedas e não pratique atos que coloquem em risco a sua segurança ou a dos outros;
  • Tenha em atenção que em alguns locais existem minas, pelo que não deve sair dos trilhos e caminhos existentes;
  • Caso ocorra algum acidente ou imprevisto contacte o serviço de emergência 112. Seja o mais claro e preciso que puder nas indicações sobre o local onde se encontra e sobre o que se está a passar. Caso não seja possível o contacto telefónico, mantenha a calma, coloque eventuais vítimas em segurança e protegidas do frio ou do sol e procure ajuda;
  • Em caso de mordedura de víbora (o que só acontecerá se o espécime for diretamente molestado) deve manter-se calmo (a mordedura de víbora raramente é fatal) e evitar movimentações desnecessárias. Se a parte mordida for um membro, como é frequente, este deve ser imobilizado e deve ser limpa a parte mordida. Deverá contactar o Centro de Informação Anti-venenos (808 250 143) e deslocar-se ao hospital mais próximo logo que possível;

 Publicações

Fonte: Parques Protegidos – cnf.pt

Depoimento e fotos: Ivete Quintela

 

 

vpdicas
vpdicas
Somos um equipa de profissionais luso brasileiros com o propósito de oferecer dicas, apoio e networking aos que desejam conhecer, viver empreender e investir em Portugal, especialmente no Centro do país.